Uma das partes estressantes do processo de estudar no exterior, com certeza, é a solicitação do visto – afinal, trata-se de uma resposta que definirá o seu destino! No entanto, se você tiver todos os documentos certinhos e souber como funciona a solicitação, não deverá ter complicação nenhuma, especialmente se você já tiver sido admitido em uma instituição e feito a sua matrícula no exterior. Aí, as suas chances são quase garantidas!

Queremos que o seu dia de entrevista no consulado seja tranquilo e livre de estresse. Por isso, trouxemos 10 dicas para você colocar em prática e se sentir seguro na hora de solicitar o seu visto!

1. Não corra o risco de ficar sem o seu visto: agende sua entrevista com antecedência
Alguns países têm fila de espera por uma data de entrevista para a solicitação do visto. Depois de concedido, leva ainda algum tempo para o seu passaporte ser enviado à sua casa. Isto pode se tornar um “problemão” se você já tiver data marcada para o início dos seus estudos – e as passagens já estiverem compradas.

Verifique regularmente o site de agendamento, mesmo antes de receber a resposta da universidade. Faça a sua solicitação com antecedência, permitindo um espaço de tempo suficiente entre a entrevista e a sua viagem para o exterior.

2. Os seus laços com o Brasil
Todos estrangeiro é considerado um imigrante ilegal em potencial – uma pessoa que tem interesse de permanecer no país ilegalmente após o vencimento do visto, seja ele de turismo, estudos ou qualquer outro com uma data de validade – até que se prove o contrário.

Para convencer o oficial consular de que suas intenções são genuínas, você precisa de qualquer tipo de documento que comprove as suas razões para retornar ao Brasil depois do término dos seus estudos. As suas razões devem ser mais fortes do que as para permanecer nos Estados Unidos.

Os seus “laços com o Brasil” podem ser os seguintes:

  • Um emprego fixo: mostre sua carteira de trabalho, leve uma carta redigida e assinada pelo seu empregador, etc.
  • Condições financeiras: imposto de renda, extratos bancários dos últimos três meses, contracheques e holerites dos seus pais ou responsável (geralmente da pessoa que irá bancar os seus estudos no exterior).
  • Bens em seu nome ou de sua família: leve a escritura de imóveis ou terrenos, documentos de veículos, etc.
  • Estudos em curso: se você for matriculado em uma instituição de ensino no Brasil, leve algum documento que comprove a sua matrícula;
  • Histórico escolar: se você tiver acabado ou estiver prestes a se formar no colegial, leve seus boletins escolares que contenham as suas médias (especialmente se você tiver um bom desempenho).
  • Se você já comprou suas passagens, leve-as com você, principalmente a de volta. Às vezes, o oficial pode nem pedir para ver esses documentos. Cada pessoa passa por uma situação diferente na entrevista, então não tem como prever como será a sua. E também não há um documento ou uma resposta formada que garanta o visto, portanto é melhor estar preparado com tudo que você puder providenciar para este momento.

3. Inglês
A sua entrevista no consulado será feita em inglês (ou no idioma oficial do país, caso você escolha um destino não anglófono). Além de ter com você os resultados oficiais de um teste de inglês, como IELTS e TOEFL (os mesmos usados para conseguir a admissão na universidade estrangeira), prepare-se para dar as suas respostas em inglês. Treine conversação com alguém que fale fluentemente e possa corrigir os seus erros.

Se você estiver viajando para fazer um curso de inglês, saiba explicar como o idioma será importante para você quando retornar ao Brasil.

4. Fale por si mesmo
Mesmo que alguém da sua família te acompanhe ao consulado, vá sozinho ao guichê no momento da entrevista. O oficial consular quer saber de você, não do seu pai, mãe ou responsável. Não estar preparado para falar por si mesmo passa uma impressão negativa de alguém que não está pronto para viajar sozinho ao exterior.

Se você for menor de idade e precisar que seus pais respondam algumas questões, por exemplo, sobre aspectos financeiros ou quem será o seu guardião no país, eles devem esperar por perto até (ou caso) serem chamados.

5. Entenda suas razões para estudar no exterior (e prepare suas respostas)
Você deve ser capaz de articular em inglês sobre as suas razões para querer estudar o curso escolhido, na universidade escolhida e no país escolhido. Por isso, primeiramente, leia tudo o que puder sobre a sua instituição, o que ela tem a oferecer aos estudantes internacionais e o que a faz destacar dentre as demais. Depois, pense em seus motivos para estudar a área que você escolheu; e por fim, por que neste país específico e não em qualquer outro.

Pense em respostas para estas perguntas:

  • Por que você escolheu especificamente esta escola de idioma/universidade?
  • Por que você escolheu estudar [sua área de estudo]? E por que esta área de estudo nesta universidade?
  • O que os Estados Unidos (ou qualquer outro país) têm a oferecer para seus planos acadêmicos e profissionais?
  • Como esta universidade vai te ajudar a alcançar os seus objetivos futuros?
  • Por que você não decidiu fazer esse curso no Brasil?
  • O que você tem a oferecer à universidade? Por que você acha que foi selecionado por ela?

6. Seja breve
As entrevistas costumam ser bem breves, de dois a três minutos apenas. Devido ao grande volume de pedidos, os oficiais precisam conduzir a conversa com rapidez e eficiência. Isto significa que você vai precisar caprichar nas poucas perguntas que serão feitas e ele ou ela se decidirá com base na primeira impressão que tiver de você. Não parece nada justo, mas é como o sistema funciona para a maioria dos países que exige uma entrevista a fim de conceder um visto de estudante.

Seja conciso e direto em suas respostas. Evite rodeios!

7. Traduções
Uma regra é levar à entrevista todos os documentos usados para passar pelo processo seletivo no exterior – por exemplo, carta de motivação, cartas de referência, histórico escolar, resultado no teste de proficiência no inglês, declaração de suporte financeiro, documento que comprove a sua admissão no exterior (carta de oferta, comprovante de matrícula), etc.

No caso dos Estados Unidos, por exemplo, a instituição é obrigada a emitir um documento chamado Formulário I-20, que deve ser levado ao consulado, junto com o comprovante de pagamento da taxa do SEVIS I-901 para estudantes internacionais.

Outra coisa importante é levar consigo todas as traduções oficiais destes documentos. Provavelmente, você já as terá providenciado para o seu processo de admissão. Entretanto, se não as tiver, é aconselhável verificar a obrigatoriedade de traduzir estes documentos para a entrevista.

8. Os estudos são a sua prioridade
Apesar de vários países permitirem trabalhar com o visto de estudante – Austrália, Nova Zelândia e Irlanda são alguns exemplos – e por mais que esta seja uma das suas razões principais para viajar, durante a entrevista no consulado, os estudos devem ser a sua motivação número um!

Isso é ainda mais sério se o seu país de destino tiver regras mais rígidas em relação a trabalho durante os estudos, como Estados Unidos e Reino Unido. Foque as suas respostas no seu curso.

9. Positividade e tranquilidade
Sorria durante a entrevista. Parece uma dica boba, mas lembre-se que a primeira impressão está em jogo. Seja educado, não fique na defensiva e não discuta com o oficial consular por nada. Entregue os documentos que comprovem as suas respostas, caso necessário. E, se possível, termine suas respostas com “sir” ou “ma’am” (senhor e senhora).

E, acima de tudo, mantenha a calma!

Ninguém gosta de considerar esta ocasião, mas, caso o seu visto seja negado, pergunte polidamente quais documentos ele ou ela sugere que você providencie para a próxima tentativa. Isto te ajudará a entender os motivos para não ter conseguido o seu visto.

10. Taxa
Verifique qual o valor da taxa que você deverá pagar no consulado. Para vários países, quando concedido, antes de deixar o consulado, o estudante deve pagar uma taxa pelo visto e também pelo Sedex, se preferir que o passaporte seja enviado pelos correios.

Saiba quais são as formas de pagamento aceitas – em dinheiro e/ou em cartão? – e não se esqueça de providenciar o valor correto para a sua ida ao consulado.

Por Hotcourses Brasil